18 de mar de 2017

PRECISAMOS FALAR SOBRE O NARCISISMO - PARTE IX: GREY ROCK


O termo grey rock (pedra cinza) foi cunhado por psicólogos comportamentais para designar uma técnica de auto-defesa emocional que com a prática leva à neutralização do abuso emocional. Por aqui conhecemos essa estratégia como "cara de paisagem" - algo que aplicamos na maioria das vezes de forma espontânea ou inconsciente.

Basicamente, o grey rock consiste em fazer cara de paisagem e não deixar transparecer emoção alguma, dedicando-se a observar sem absorver a toxicidade de pessoas "difíceis", e seu emprego é recomendado sempre que nos sentimos desconfortáveis na presença de alguma pessoa ou em determinados ambientes. Nem todas as pessoas "difíceis" são narcisistas, mas todos os narcisistas são pessoas "difíceis". 

Praticar o grey rock vai ajudá-lo em três níveis:
  1. neutralizar o impacto da agressão verbal no momento que ocorre
  2. preservar e/ou clarear seu raciocínio durante a agressão verbal
  3. ajudá-lo a reconhecer em si mesmo os pontos sensíveis que o tornam vulnerável às agressões
Observe, não absorva*

A agressão emocional é sempre e necessariamente uma estratégia de intimidação à qual recorrem indivíduos emocionalmente fracos quando vêem frustradas tentativas anteriores e mais sutis de manipulação. Pense numa criança fazendo birra: por impressionantes que pareçam os gritos e ofensas do abusador, ele está agindo exatamente da mesma maneira. Gritos e ofensas são sinais de derrota, não de vitória. Portanto, a primeira coisa que precisa entender é que quando o outro grita e ofende, a vantagem é sua, conquanto se mantenha calmo e não entre no jogo do agressor: gritos e ofensas são uma tentativa de empurrá-lo para o único terreno onde o agressor se sente em vantagem, porque é um terreno que domina melhor do que você e se você está lendo este artigo, é bem provável que já tenha cedido anteriormente, e se arrependido profundamente depois.

Eu quero ajudar você a acabar de vez com esse arrependimento. Eu quero que você assuma o controle sobre a própria vida e decisões. Eu quero que você viva em paz, porque a felicidade só faz ninho onde existe paz.

Talvez não seja muito fácil no começo, mas nós precisamos que você persista, que insista depois de ter falhado: ninguém é perfeito e é muito difícil manter a calma quando estamos sendo ameaçados e/ou acusados de coisas tenebrosas. Ninguém nasce com sangue de barata, mas podemos aprender. E não tem limite de idade para aprender.

Então, eu quero que você comece praticando a observação.

Observe aos outros, observe a si mesmo.

O humor do parceiro/amigo/colega mudou? Observe.

O seu humor mudou? Observe.

O humor das pessoas à sua volta mudou? Observe.

E enquanto observa, pergunte-se:
  • Como está se sentindo com essa mudança?
  • Está ansioso, nervoso, tenso?
  • Por quê?

Quando nos sentimos ansiosos, nervosos ou tensos, nosso instinto de sobrevivência está mandando um recado, antecipando uma situação potencialmente ameaçadora antes mesmo de termos consciência disso. Então, observe e pense. Tente lembrar se disse ou fez alguma coisa que pudesse ter incomodado essa pessoa - pessoas "difíceis", e narcisistas em particular, se ofendem com as palavras e atitudes mais inocentes e insignificantes, e isso é problema delas, não seu - a não ser que pretenda andar pela vida pisando em ovos e sendo usado e abusado por esse tipo de gente.

Se o outro simplesmente explodiu na sua cara sem aviso, eu quero que você recue um passo dentro da sua cabeça. Faça cara de paisagem e não reaja: não diga nada, não faça nada - apenas observe. E observando, pergunte-se: por que esta pessoa está agindo assim comigo exatamente neste momento? Lembre: neste primeiro momento, o foco não é você. Por mais que o outro queira fazer parecer, o foco é ele: ele é que está incomodado, ele é que tomou a iniciativa, ele é que começou, logo, o problema é dele, não seu. Observe do que está sendo acusado, exatamente: quando se trata de narcisistas, eles têm o patético hábito de acusar os outros de agirem exatamente como eles próprios estão agindo pelas suas costas. Então, ao invés de se defender das acusações, por revoltantes e irreais que pareçam, observe e guarde. Não responda às acusações, apenas diga que retomará a conversa quando ele estiver mais calmo.

Caso a explosão resulte de você ter criticado alguma conduta do outro, e ele reagir acusando você, finja ser um disco riscado e insista no seu questionamento original: não se deixe enrolar. Quando acuadas, essas pessoas costumam partir para o ataque, muitas vezes recorrendo a argumentos totalmente estapafúrdios com o intuito de colocá-lo na defensiva. Mantenha a calma, faça cara de paisagem e volte à crítica que fez no começo de tudo. Ouça o que ouvir, mantenha-se calmo na certeza de que existe os motivos que o levaram a começar a conversa são válidos, e isso é tudo que importa no momento.

Se estiver discutindo com um narcisista, prepare-se para ter todos os seus fracos atingidos com crueldade. Esse modus operandi é tão universal que a gente chega a desconfiar que narcisistas não nascem: são fabricados em série e escondem o código de barras por trás do umbigo.

Não absorva. Essas pessoas são como vampiros que se alimentam das emoções dos outros - e são viciadas nelas. Como todo o viciado, elas vão aumentando as doses na tentativa de voltar a sentir o "momento mágico" da primeira vez que experimentaram. Isso é particularmente perverso nos relacionamentos "amorosos" - e aqui falo especificamente dos narcisistas: como são incapazes de reciprocidade, a etapa da acomodação por que passam os relacionamentos afetivos normais é para elas o fim do relacionamento. Portanto, o momento de sedimentação que permite a uma relação se consolidar no companheirismo capaz de manter-se por uma vida inteira é o fim, para o narcisista, porque no seu entendimento, amor é a paixão desenfreada cheia de incertezas e inseguranças: esse nível  de intensidade tem que ser uma constante para o narcisista e ele fará de tudo para prolongá-lo, mesmo que isso signifique esgotar o parceiro emocionalmente.

A questão aí é que como seus sentimentos não são autênticos, por exacerbados que aparentem ser, depois de uma briga descomunal, o narcisista vira para o lado e dorme como um bebê enquanto você perde o sono tentando se acalmar e fazer algum sentido de tudo que aconteceu. Em poucos meses, você estará em frangalhos enquanto ele já busca a próxima vítima - e, acredite-me, sempre há uma próxima vítima.

Observar sem absorver é o primeiro passo para você se salvar antes que a toxicidade dessa pessoa destrua sua identidade e vontade de viver. Até aqui eu venho explicando e demonstrando como funciona a mente dessas pessoas, para ajudá-lo a entender o porque de serem capazes de fazer tanto mal aos outros e seguirem convencidas de que elas é que foram as vítimas. Nem você nem ninguém vai mudar isso. Você só pode mudar a si mesmo. Você só pode salvar a si mesmo.

Pratique meditação, qualquer método que o ajude a criar e manter uma barreira invisível entre suas emoções e essa pessoa: observe a pessoa tóxica, entenda a pessoa tóxica, mas não absorva sua toxicidade na certeza (e isso é absoluta certeza mesmo) que nada do que elas dizem ou fazem é por sua causa, em absolutamente todos os sentidos.

O ideal é afastar-se, cortar relações e ignorar a própria existência de pessoas tóxicas, mas isso nem sempre é possível: às vezes essas pessoas são nossos pais, irmãos ou parentes de quem não podemos simplesmente nos afastar de uma hora para outra - e creia-me: pessoas tóxicas são especialistas em criar circunstâncias que tornam difícil a distância física. Não podemos absolutamente mudar o seu comportamento, como nos tratam ou como se dirigem a nós: enquanto existirem, seguirão manipulando, fofocando, caluniando e criando dramas desnecessários por motivos fúteis, nos agredindo e ofendendo sempre que quiserem de nós algo que não estamos dispostos a dar. Como eu afirmei mais acima, esse é o jogo delas, e é um jogo no qual sentem-se vencedoras há décadas.

Observe, não absorva. Repita para si como um mantra. Escreva num bilhete e cole na geladeira, se necessário: observe, não absorva.

Usando o grey rock, ou "cara de paisagem", você aprende a ocultar o impacto emocional que elas têm sobre si. Você se expõe menos aos ataques primeiro, porque se sua expressão é neutra, fica muito difícil para elas identificarem os seus pontos fracos para usá-los contra você. Segundo, porque ao verem que não conseguem extrair o suco precioso das suas emoções, elas acabarão desistindo, deixando-o em paz enquanto partem para buscar outra vítima, e como a iniciativa terá partido delas mesmas, se sentirão menos inclinadas a buscar a vingança fazendo a sua caveira por aí. Aí sim, você pode implementar o próximo passo que é cortar todo o contato, erradicando todos os traços da presença dessas pessoas em sua vida, fechando a porta e botando uma boa trava com cadeado para nunca, mas nunca mais mesmo abrir.


* a técnica "observe, não absorva" foi desenvolvida pelo terapeuta norte-americano Ross Rosenberg, um dos poucos especialistas no tratamento de vítimas dos narcisistas.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Não conhecia. Estou lendo o material dela e assistindo aos vídeos. Obrigada pela indicação!

      Excluir
  2. E o que fazer quando vc faz cara de paisagem e o narcisista começa a rir por dentro, vc percebe que ele vai rir da sua reação?

    ResponderExcluir
  3. E o que fazer quando o narcisista ri por dentro, ou ri de você, ao você se comportar assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ignorar e seguir ignorando. O riso é só mais uma defesa do narcisista, como a agressão, as "cenas", o choro etc... o que ele quer é provocar uma reação - qualquer reação - da sua parte. Essa é a "droga" de que ele se alimenta e precisa para viver. Não dê. Não entre no jogo: dê as costas e se afaste sem reagir.

      Excluir